Dicas onde investir em Ações

Para começar, você deve estar ciente que investir significa simplesmente colocar seu dinheiro para trabalhar de maneira que você possa aumentar sua renda com o tempo. No entanto, a escolha do tipo de investimento pode se tornar complexa se você não tiver clareza sobre em que deseja investir ou não entender a diferença entre ações, títulos, imóveis ou fundos mútuos.

Todo investidor responsável dará os mesmos passos iniciais: primeiro, estude as alternativas disponíveis e depois escolha a mais adequada às suas necessidades.

Abaixo, explicamos os primeiros passos e perguntas que você deve responder para que seu investimento siga na direção certa.

1. Uma das primeiras coisas é descobrir qual é o seu perfil de investidor

Sua personalidade e seu perfil de investimento nem sempre são os mesmos. Ser tímido não significa que você é conservador para investir ou gostar de esportes radicais não necessariamente faz de você um investidor arrojado. Existem centenas de testes na Internet que você pode fazer para definir seu perfil de investimento.

Tire proveito dos questionários que muitas instituições financeiras oferecem aos seus clientes para responder para determinar seu perfil. Quanto melhor você conhecer seu nível de risco em relação a como seu dinheiro se comportará em um contexto de investimento, melhor a decisão será tomada.

2. Decida quanto dinheiro você tem para investir

Saber exatamente quanto você tem disponível para investir permitirá que você defina limites para possíveis perdas e reconheça os ganhos reais. Para saber esse valor, você deve primeiro organizar suas finanças e saber o quanto você está disposto a investir em um determinado momento. Em um investimento, o dinheiro vai mudar de valor, e isso não deve afetar suas finanças pessoais. É por isso que recomendamos que você separe as coisas; O dinheiro que você usa para suas despesas não é o mesmo que você vai economizar, nem o dinheiro que você vai investir.

Finalmente, tenha em mente que o dinheiro que você tem disponível para investimento deve atingir todos os custos associados e mínimos necessários de acordo com o produto financeiro que você escolher.

Descubra as quantias mínimas de investimento, muitas vezes elas são menores do que você imagina e todos podem investir.

3. Compreenda o básico

Depois de saber qual é o seu perfil e saber quanto dinheiro vai usar, você deve conhecer os dois conceitos básicos de qualquer investimento: Risco e lucratividade.

O que é risco?

É o conceito geral associado às flutuações que cercam as operações de um investimento em relação aos valores esperados.

O que é lucratividade?

É a capacidade que o investimento do seu dinheiro tem para gerar lucros.

Uma pessoa que investe escolhe entre risco ou rentabilidade, dependendo do seu objetivo de investimento: salvaguardar dinheiro ou obter um lucro maior.

Existem duas premissas com as quais você deve escolher entre alternativas de investimento de maior ou menor risco e desempenho:

Se as condições de risco forem as mesmas, opte pelo investimento que oferece o maior retorno.
Se as condições de rentabilidade forem as mesmas, opte pelo menor risco.

Quando você tiver estes termos claros, você entenderá mais facilmente suas alternativas de investimento atualmente disponíveis no mercado brasileiro:

Ações
Bônus
Fundos Mútuos
Fundos imobiliários
ETFs

4. Estabeleça uma meta

Quanto você quer economizar? Qual é o seu objetivo de investimento? Quais são os seus prazos para ambos? Estas são apenas algumas das questões que você deve se perguntar para identificar a causa que leva você a reservar uma quantia de dinheiro para salvaguardar ou tornar lucrativa.

Recomenda-se que você tenha um objetivo claro, que guie seu planejamento financeiro e ofereça a previsão para enfrentar os imponderáveis que surgirão ao longo do caminho.

5. Escolha o produto financeiro mais adequado para você

Essa decisão influenciará seu plano de investimento. O produto escolhido deve se adequar ao seu perfil de investimento e necessidade financeira.

Você pode querer começar devagar e com segurança, ou está procurando lucros mais rápida e imediatamente. Para tomar uma decisão informada, conheça as principais diferenças entre os instrumentos de poupança e investimento mais comuns no mercado.

Tenha sempre em mente que, independentemente do instrumento que você escolher, você deve diversificar; Atribuir diferentes porcentagens ou quantias do seu dinheiro em diferentes instrumentos de investimento, para reduzir e controlar o risco de perdas.

6. Desenvolver um plano de investimento para um tempo específico

Você sabe quanto tempo investir? Quantas vezes você quer ter lucro? Você vai fazer os investimentos por conta própria? Você prefere deixá-lo nas mãos de um especialista?

Todas essas perguntas permitirão que você planeje seu investimento sabendo exatamente o que você quer, quando e como.

7. Compreender os custos associados

A utilização de instrumentos financeiros implica algum tipo de custo ou pagamento associado. Eles geralmente consistem em comissões por ter e gerenciar seu dinheiro, mas também há os custos de manutenção e os custos associados ao risco que você nem sempre será capaz de saber exatamente.

Há também os impostos que você terá que pagar quando resgatar seus ganhos. Certifique-se de verificar com a instituição financeira em que você vai confiar em seu dinheiro o que todos esses custos associados são e considerá-los parte do seu montante de investimento.

Conclusão

Começar a investir envolve um conjunto de incertezas e situações imprevisíveis, que você deve saber enfrentar desde o início. É por isso que você deve decidir seus objetivos, definir um plano financeiro, entender os custos e lidar com os conceitos básicos que o ajudarão a entender bem o que é seu investimento.

Certifique-se de perguntar e informar-se antes de tomar uma decisão que faça você se sentir confortável. A chave é começar com etapas gerenciáveis para obter mais e mais força.